logo Blog50.com
Blog 50 est un service gratuit offert par Notre Temps

29/09/2010

29 SEPTEMBRE 2010 : LES SS. ARCHANGES MICHEL, GABRIEL ET RAPHAËL

SAINTS MICHEL, GABRIEL, RAPHAËL

 

- SAINT MICHEL

 

Capture d’écran 2010-09-29 à 15.15.19.png

 

Saint Michel, prince de la milice céleste est cité maintes fois dans l'anvien et le Nouveau Testament. Il est le protecteur de l'Eglise, l'introducteur des âmes au Ciel, le porteur jusqu'à Dieu des prières des vivants, le vainqueur de Satan. Saint Michel est fêté le 29 Septembre, fête des Archanges avec Saint Raphaël et Saint Gabriel.

 

Saint Michel signifie "Qui est comme Dieu ", Saint Raphaël "Dieu a guéri" (Raphaël guéri le vieux Tobie de sa cécité), Saint Gabriel : "Dieu est fort" . Ce dernier, messager de Dieu à trois reprises, est intervenu auprès de Daniel, puis de Zacharie et enfin lors de l'Annonciation à Marie.

 

Chef des armées célestes, saint Michel est décrit sous le nom de Grand Prince dans le Livre de Daniel (12,1). Son culte est très ancien en Orient. Il n'apparaîtra tardivement en Europe occidentale. Le premier sanctuaire sera édifié en 492, au sommet du Mont Gargan en Italie du sud. De nombreux autels et églises, qui lui seront dédiés, fleuriront en Italie et en l'Europe jusqu'en Irlande à partir du VIème siècle. Plusieurs pèlerinages autour des grands sanctuaires édifiés au sommet de collines, parmi lesquels ceux du Mont-Gargan (fin du Vème siècle), du Mont Tombe en Neustrie (début du VIIIème siècle) et du Mont-Saint-Michel en Piémont (fin du Xème siècle), attireront des foules importantes dès le Moyen-Age.

 

 

- SAINT GABRIEL

 

 

ST GABRIEL (ICONE).jpg

 

 

Gabriel (de l'hébreu : גַּבְרִיאֵל [ġabrīēl]) est un ange cité dans l'Ancien Testament, le Nouveau Testament et le Coran. Dans les monothéismes abrahamiques, Dieu communique avec ses prophètes soit par l'intermédiaire d'anges, soit par des visions ou des apparitions. Gabriel est considéré comme le messager de Dieu dans la Bible et dans le Coran.

 

Dans l'Ancien Testament, il annonce une prophétie dans le Livre de Daniel. Conformément à la signification de son nom (hébreu : גַּבְרִיאֵל [ġabrīēl], La Force de Dieu ou Dieu est ma Force ou le Héros de Dieu), de gabar (force) et El (Dieu), lorsqu'il se matérialise dans la Bible ou quand il apparaît dans une vision, son aspect est semblable à celui d'un homme robuste (Dan 8:15 ; Dan 12-7). Il est considéré comme la main droite de Dieu.

 

Dans le Nouveau Testament, il annonce la naissance de Jésus à la Vierge Marie (Évangile selon Luc, I:26-38).

 

Dans l'islam, il est connu sous le nom arabe de جبرائيل [Gɛbrɛːjɪːl] ou جبريل[Dʒɛbrɪːl] (Djibril) et révèle les versets du Coran à Mahomet.

Autre portrait de l'archange

 

 

- SAINT RAPHAËL

 

Capture d’écran 2010-09-29 à 15.18.51.png

 


 

St Raphaël n’apparaÎt que dans le livre de Tobie. Le vieux Tobie étant devenu aveugle, l’ange Raphaël est envoyé à son fils, le jeune Tobie pour l’accompagner dans une quête qui l’amènera à découvrir un mystérieux onguent qui redonnera la vue au vieillard. Son nom signifie, à juste titre : « Dieu guérit » ; il n’est plus guère utilisé de nos jours.

Il nous rappelle la puissance et la bonté de Dieu envers les souffrants, et nous invite à en faire autant, dans la mesure du possible.

 

***********************************************************************************

15:12 Publié dans RELIGION | Commentaires (3)

23/09/2010

POUR QUE LE DIMANCHE SOIT JOUR DE LA FAMILLE

(Au Portugal, la LOC est ce qu'est en France l'ACO et la JOC : Action Catholique Ouvrière et Jeunesse Ouvrière Chrétienne.

La LOC , annonce la presse portugaise, se joint à une grande campagne européenne pour obtenir que partout le dimanche soit le "Jour de la Famille" (L'inscitpion de la photo, pour qui ignore l'anglais, signifie : "Le Dimanche, Papa et maman sont à moi")

 

 


Pour le dimanche en famille.jpg

LOC junta-se a campanha

contra trabalho ao domingo

 

 

A Liga Operária Católica/Movimento de Trabalhadores Cristãos (LOC/MTC) acaba de se associar a uma campanha que está a decorrer a nível europeu de recolha de assinaturas pela Internet com o objectivo de defender o “Domingo como dia de descanso na Europa”.

Esta iniciativa conta com o apoio de alguns deputados do Parlamento Europeu e de algumas organizações não governamentais, entre as quais o KAB, um movimento de trabalhadores católicos da Alemanha, e o EZA – Centro Europeu para os Assuntos dos Trabalhadores.

O EZA é um organismo que congrega uma rede de mais de 60 organizações de trabalhadores provenientes de 20 países europeus que têm em comum os valores sócio-cristãos.

Os promotores desta campanha pretendem recolher um milhão de assinaturas para apresentar a proposta “Domingos como dia de descanso na Europa” no Parlamento

Europeu.

Até ontem estavam na lista de signatários 18.803 nomes de cidadãos de praticamente todos os países da União Europeia.

A Equipa Executiva da LOC/MTC enviou para todos os seus elementos com endereço electrónico o endereço da campanha (www.free-sunday.eu) apelando à sua divulgação.

A campanha tem o apoio de organizações como a Evangelischer Arbeitskreis der CDU/CSU, Care for Europe e Alianta Familior din Romania, COMECE, Bonifatiuswerk der deutsche Katholiken.

A proposta de descanso ao domingo é justificada com a necessidade de haver um dia livre para as crianças poderem estar com a família.

Os proponentes referem ainda que a Europa sem trabalho ao domingo é uma região no mundo mais amiga das crianças.

Aliás, de acordo com a Legislação europeia, o domingo é o dia da semana para as crianças e adolescentes.

Por outro lado, as escolas e instituições públicas europeias nunca trabalharam ao domingo nem tencionam fazê-lo no futuro, independentemente das influências das

várias religiões, culturas e grupos étnicos.

Além disso, sustentam, os estudos provam que o descanso ao domingo tem efeitos positivos para a saúde.

Referem ainda que cada pessoa precisa de ter tempo para relaxar para ser activa na

sociedade civil, poder fazer o que gosta nos tempos livres e praticar a sua religião.

O descanso ao domingo «é um pilar essencial do modelo social europeu e parte da herança cultural europeia

 

**********************************************************************************************************************************************************************

 

22/09/2010

CHANT DE FATIMA

19/09/2010

LES 7 MERVEILLES NATURELLES DU PORTUGAL

(Les Portugais viennent d'être invités à choisir, entre 21 lieux proposés, leurs 7 préférés, qui seront désormais considérés comme les 7 Merveilles Naturelles du Portugal. La liste des gagnants se trouve ci-dessous... Vous trouverez 1 photo de chacune des 7 Merveilles dans l'Album qui leur sont consacré)

 

As 7 maravilhas naturais de Portugal

 

Num espectáculo televisivo do canal público, à meia-noite de 11 para 12 corrente, tendo por palco um barco atracado num dos portos açorianos foram anunciadas as 7 maravilhas Naturais de Portugal.

Foram 656.356 votantes a participar nesta eleição que, não sendo científica, permite,

mesmo assim, estimar o interesse do público pelas belezas naturais. Segundo foi dito durante o programa, nunca, em concursos desta natureza, houve tanta adesão.

Os Açores, numa aposta bem organizada, com influências de diversa natureza, como se constatou pela escolha do Comissário e dos padrinhos, que desfilaram pelos mediáticos palcos da fama partidária, arrecadaram o maior numéro de prémios. Dinheiro géra dinheiro. E quem tem unhas toca viola...

Os vencedores, distribuídos por sete categorias, foram os seguintes, por ordem arbitrária:

 

- Lagoa das Sete Cidades (Zonas aquáticas não marinhas),

- Portinho da Arrábida (Praias e falésias),

- Floresta Laurissilva da Madeira (Florestas e matas),

- Paisagem Vulcânica da Ilha do Pico (Grandes relevos),

- Grutas de Mira de Aire (Grutas e cavernas),

- Ria Formosa (Zonas marinhas)

- Parque Nacional da Peneda-Gerês (Zonas protegidas).

 

Esses 7sítios foram eleitos entre 21 finalistas, por mais de 650 mil cidadãos que puderam votar por Internet, por telefone e por SMS.

 

Os grandes vencedores foram os Açores, que além dos dois sítios eleitos conseguiram aproveitar o evento para projectar, de forma muito eficaz, a imagem do arquipélago no exterior.

 

Áreas Protegidas: o eleito foi o Parque Nacional da Peneda-Gerês.

 

Ao fim de nove meses de votações, mais de 600 mil portugueses escolheram os sete fenómenos naturais que consideraram mais belos. A distinção irá reforçar a notoriedade e o acréscimo de visitantes.

 

Luís Segadães, Presidente da New Wonders Portugal, disse bem alto que “os portugueses não querem saber daquilo que não conhecem. Por isso fizemos este esforço para dar a conhecer ao nosso país aquilo que ele tem de mais belo”.

 

Num espectáculo que pretendeu mostrar toda a diversidade paisagística de Portugal e representar, em sete actos, cada uma das categorias presentes neste concurso, foram proclamados os sete vencedores dessa iniciativa que já tem outras do género calendarizadas. Sem tirar mérito a esses sete pequenos paraísos naturais, em espaço Português, outros recantos durienses, transmontanos, beirões, poderiam ter levado a palma se esta metodologia eleitoral estivesse devidamente divulgada às populações do interior do país, que não só às gentes da beiramar e dos centros urbanos, onde a densidade populacional, a escolaridade e o poder de compra para ter telemóveis e dinheiro para fazer telefonemas às dúzias, não fossem factores decisórios.

 

Barroso da Fonte (Voz de Tras-os-montes,3144)

15:35 Publié dans PORTUGAL | Commentaires (0)

15/09/2010

PORTUGAL : LA 1ère RÉPUBLIQUE ET FATIMA

 

FATIMA, 13:10:1917.jpg

A Primeira República e Fátima

 

Os eventos de Fátima adquirem a sua particular relevância – embora transcendam a situação concréta em que ocorrem – no contexto das transformações em curso em Portugal e na Europa da época (…).

Assistia-se, por toda a parte, a profundas transformações de ordem existencial. Estava em curso a revolução industrial, dando origem a burguesias bem diferenciadas (…).

Como a história é o lugar da criação dos contextos de sentido, as visões do mundo desses segmentos da população, em correspondência com a sua concreta existencial, tendem a afirmar-se como dominantes, com vontade de apagar todas as demais mentalidades que se lhes opunham ou se revelem contrárias (...).

 

Numa primeira fase, a república trava uma batalha aberta contra a Igreja no campo político e jurídico.

A luta centrou-se à volta de duas principais questões: a criação das “associações cultuais” e as pensões a conceder ao clero. O afrontamento entre o Estado e a Igreja foi aqui aberto e directo. Se o Estado afrontou a Igreja, a Igreja afrontou o Estado (…).

A questão não era, todavia, unicamente política, mas sócio-cultural. Não se tratava apenas de substituir as estruturas políticas, mas de operar uma verdadeira mudança de mentalidades. O Estado que pretendia separar-se da Igreja, procurava a laicidade, mas para vencer as resistências que encontrava pela frente, entregava-se ao laicismo. A laicidade é um conceito que tem a ver com o Estado e não com a Igreja nem com a sociedade civil (…). É neste novo plano sócio-cultural que Fátima aparece como o principal teatro de guerra desencadeado pela Primeira República

 

(…). A luta configura-se e a campanha desenrola-se contra Fátima no quadro destas diversas coordenadas. Realizada a primeira “Aparição”, em 13 de Maio de 1917, logo os meios de comunicação social afectos à maçonaria, ao livre pensamento e ao republicanismo entram em acção para denunciarem o fanatismo em marcha e para alertarem os poderes políticos. Mostram-se atentos e extremamente vigilantes.

 

Em 13 de Agosto de 1917, segundo o jornal Liberdade (18-8-1917), o Administrador de Vila Nova de Ourém, acompanhado de um oficial da Administração, dirigiu-se a casa dos pais dos pastorinhos, procede ao seu sequestro, seguido da sua detenção na sede do concelho (…). A Aparição de 13 de Outubro de 1917 veio tornar relativamente irreversível a questão. (…) Além disso, tudo se realizava em obediência a um calendário previamente definido por Nossa Senhora (…).

 

Na noite de 23 de Outubro desse ano de 1917, alguns carbonários ou livres pensadores de Santarém procederam à transferência, da Cova da Iria para Santarém, do tronco da azinheira sobre a qual Nossa Senhora aparecera e de alguns objectos aí colocados pelos peregrinos (…)

Fátima emergia igualmente como o espaço onde se exprimia, por excelência, o confl ito entre a razão e a crença, entre a ciência e a fé. Este conflito vinha já de trás (…). O argumento usado recorrentemente pelas correntes ideológicas era a lei da separação e a necessidade da sua aplicação (…).

Entre, sobretudo, 1920 e finais de 1924, a acção dos actores políticos torna-se mais directa, intensa e violenta. O Governador Civil de Santarém ordena a proibição da peregrinação de 13 de Maio de 1920, por ordem do ministro do interior. Entra então em acção a força armada, nomeadamente a Guarda Nacional Republicana, ocupando as estradas, de modo a impedir o acesso à Cova da Iria (…).

 

A capelinha das Aparições é dinamitada em 6 de Março de 1922. O Governo, nessa altura, procura investigar os autores de tão hediondo crime. A série de atentados ocorridos na sociedade, ao tempo, criava grande insatisfação entre a população (…).

 

O recrudescimento das medidas persecutórias dos católicos e nomeadamente impeditivas da peregrinação à Cova da Iria davam, entretanto, origem a algumas expressões de medo. Não obstante a afluência maciça – ou talvez por causa disso , os poderes constituídos procuram opor-lhe um dique que cortasse o acesso, colocando um aparato policial à volta de Fátima. Certo temor se terá infiltrado nos espíritos de alguns, paralisando os seus movimentos (…).

 

A repressão exercida sobre os católicos parece atingir, por ocasião do 13 de Outubro desse ano de 1924, um dos seus pontos mais intensos e violentos. Se, para os republicanos, se tratava de impedir a perturbação da ordem pública, cujo receio desejavam afastar, para os católicos em causa estava, segundo as Novidades (13-10-1924), a defesa de uma Igreja livre do ódio e da sombra blasfema dos seus inimigos. Mas enquanto a repressão era anunciada, agia-se depois discretamente (…).

Assiste-se, nessa altura, a uma autêntica arrancada não contra o regime, mas contra as suas arbitrariedades. O movimento desenvolve-se a partir do Centro Católico. Terá chegado a hora de não se consentir mais a brutalidade do poder, tida como “mais uma afronta à consciência do país” (…).

As manifestações de protesto eram de molde a conduzir à proposta de uma de duas possíveis hipóteses de resolução do conflito: a contestação directa do regime político vigente ou o recurso à desobediência civil.

A primeira via de saída foi adoptada pelo jornal O Dia (13-10-1924). Contesta, todavia, a posição seguida por este jornal a generalidade da imprensa católica, aconselhando antes a desobediência civil, no estrito campo da luta pela substituição da legislação (…).

A Igreja mostrava-se, nessa altura, disposta a submeter-se à lei comum, liberta de leis opressoras, fossem elas de separação, fossem elas concordatárias, nomeadamente quando celebradas em liberdade diminuída ou interpretadas arbitrariamente pelo Estado. O grande desígnio a alcançar seria o da liberdade da Igreja, desígnio que a mesma Igreja não alvejava tanto como quando se sentia aprisionada (…).

 

O Estado desenvolvia uma política anti-religiosa, permeada de agressividade e de violência (…). Três presidentes do Governo mostraram-se particularmente activos na

repressão dos eventos de Fátima, com intervenções directas, António Maria Baptista, António Maria da Silva, que durante algum tempo sobraçou igualmente a pasta do Interior, e Alfredo Rodrigues Gaspar (…).

 

Portugal conheceu, de facto, nos inícios do século XX, um dos combattes mais acesos travados na Europa contra o Catolicismo.

 

Excertos de uma conferência proferida em Coimbra por António Teixeira Fernandes

In Ecclesia

 

*******************************************************************************************

 

 
Accueil Blog50 | Créez gratuitement votre blog | Avec notretemps.com | Toute l'info retraite | Internet facile | Vos droits | Votre argent | Loisirs | Famille Maison | Cuisine | Jeux | Services | Boutique